VIVAS AO POETA FRANCISCO BARBOZA LEITE

Barboza Leite.jpg

Por Clara Crível

No mês de março, comemora-se o dia municipal da Cultura em Duque de Caxias.  Foi escolhida a data 20/03 em homenagem ao nascimento de uma das figuras centenárias mais importantes para a cultura do município de Duque de Caxias e que merece ser revisitada: Francisco Barbosa Leite. Esta personalidade também virou nome de escola municipal em Imbariê e para além das homenagens públicas, é necessário manter vivas suas contribuições para a cultura e a arte do município.

Barboza Leite nasceu em Uruoca, no Ceará, em 1920 e aos dezesseis foi para Fortaleza em busca do trabalho e estudo. Dentre as variadas atividades que realizava, destacam-se a de retocador de fotografias, desenhista, pintor, poeta, escritor, ilustrador, técnico de recursos audiovisuais, compositor, artista plástico, jornalista, ensaísta, cenógrafo, ator e cordelista.

Sua chegada a Duque de Caxias data de 1952. Barboza Leite era amigo de Solano Trindade com quem trabalhou no IBGE, inclusive, ilustrou a publicação da instituição intitulada Tipos e Aspectos do Brasil. Nesta época coordenou a Escolinha de Arte da Fundação Álvaro Alberto, conhecida como Mate com Angu. O intelectual e artista é reconhecido também pela arte do cordel onde expressa o olhar do imigrante ao território de Duque de Caxias, a cidade e seus habitantes que recebia em sua maioria outros cidadãos da região do nordeste, como expressado no cordel A Verdadeira História de Duque de Caxias ou A Grande Feira de Duque de Caxias.

Fez parte da Orquestra Sinfônica de Duque de Caxias e a composição intitulada Exaltação à Cidade de Duque de Caxias, com letra e música de sua autoria, foi arranjada sinfonicamente pelo maestro Clóvis Ferreira Lima, e se tornou o hino do município, através da Lei n. 1616, de 28 de dezembro de 2001. Isto ocorreu quarenta anos após sua primeira execução no encontro de trabalhadores do município que aconteceu no SESI de Duque de Caxias, na década de 1960.

A criação do Teatro Municipal Armando Mello (1967) foi fruto de sua mobilização com o jornalista Laís Costa Velho, sendo este o primeiro teatro da cidade. Participou do Conselho Municipal de cultura e propôs o projeto para a criação da Secretaria Municipal da Cultura. Depois, tornou-se presidente e diretor da Escola de Artes da Secretaria da Cultura. Organizou a importante exposição de Artes Plásticas no município que teve entre seus participantes Antônio Bandeira, Goeldi, Bruno Giordi, e Iberê Camargo.

O legado de Barboza Leite é fonte de homenagens e pesquisas acadêmicas, portanto, devido sua grandiosidade, uma personalidade tão complexa deve continuar sendo resgatada pelas as gerações do presente e futuro.

Barboza Leite.jpeg

PARA SABER MAIS

Artigos

A cidade e as letras de Francisco Barboza Leite e Silbert dos Santos Lemos

Tania Maria da Silva Amaro de Almeida; Jacqueline de Cassia Pinheiro Lima; Idemburgo Pereira Frazão Félix

 

Memória e representação de uma cidade a partir de Francisco Barboza leite: O exemplo de Duque de Caxias

Tania Maria da Silva Amaro de Almeida; Jacqueline de Cassia Pinheiro Lima

 

Representações de uma cidade: Os cordéis de Francisco Barboza Leite e as crônicas de Silbert dos Santos Lemos

Tania Maria da Silva Amaro de Almeida; Jacqueline de Cassia Pinheiro Lima

Cordel

A grande feira de Duque de Caxias.
Duque de Caxias: Edição do Autor, 1984.
Francisco Barboza Leite

A verdadeira história de Duque de Caxias.
Duque de Caxias: Edição do Autor, 1984.
Francisco Barboza Leite

Exaltação à cidade de Duque de Caxias.
Duque de Caxias: Edição do Autor, 2011.
Francisco Barboza Leite

Documentários

Barboza Leite

Vídeo biográfico produzido pela Secretaria de Cultura da Prefeitura de Duque de Caxias

Hino oficial do município de Duque de Caxias

Letra: Barboza Leite

Melodia: Arranjo sinfônico de Clóvis Ferreira Lima

Livro

Diáspora nordestina: A literatura de cordel como marca identitária

José Severino da Silva

Autografia

O Nó laço abraço no traço de Barboza Leite

Dalva Lazaroni

Editora Agora, Rio de Janeiro, 1988

Trilhas roteiros e legendas de uma cidade chamada Duque de Caxias. 
Duque de Caxias: Consórcio de Administração de Edições, 1986.
Francisco Barboza Leite

Fotos: Reprodução.